Selton Mello: ‘Meu nome não é Johnny’

Selton Mello revive barão da cocaína em Meu nome não é Johnny.

Ator fala sobre os bastidores do filme, que chega aos cinemas nesta sexta-feira (4).
Em entrevista ao G1, João Estrella, que inspirou a trama, diz que “corajoso é ser careta”.
O cinema nacional começa 2008 com o pé direito com a estréia do esperado “Meu nome não é Johnny” (assista ao trailer), que entra em cartaz nesta sexta-feira (4).

Seltom Mello

Protagonizado com talento por Selton Mello, o filme conta a história real de João Estrella, um garoto de classe média que virou barão da cocaína no Rio dos anos 1990.

“Foi a primeira vez que interpretei uma pessoa que está ao meu lado, e isso é raro e muito especial”, diz Selton, em entrevista ao lado do próprio Estrella, hoje com 42 anos. O projeto animou tanto o ator que ele até negou o convite para trabalhar em “Tropa de elite”, rodado na mesma época.

Baseado no livro homônimo de Guilherme Fiúza, o longa-metragem, dirigido por Mauro Lima, narra a ascensão e queda do traficante, das festas e luxos até os tribunais e, por fim, a cadeia. Cléo Pires também está no elenco, na pele de Sofia, namorada do protagonista.

“Ver minha história na tela é muito forte, é como se eu estivesse revivendo aquilo tudo”, diz Estrella, que ficou preso por dois anos e hoje trabalha como produtor musical e tenta a carreira de cantor.
“Ver minha história na tela é muito forte, é como se eu estivesse revivendo aquilo tudo”, diz Estrella, que ficou preso por dois anos e hoje trabalha como produtor musical e tenta a carreira de cantor.

Alma de popstar
Estrella acompanhou de perto a produção do filme (e até faz uma ponta numa cena no manicômio carcerário), mas tentou manter uma certa distância de Selton para não influenciar sua atuação. “Não fiquei me metendo nem corrigindo, fiquei na minha.” Enquanto isso, Selton buscava material para criar sua própria versão de João Estrella.

“Eu não queria imitar o João, tinha liberdade para criar um personagem sendo fiel apenas ao humor dele. Conversei com muita gente que conviveu com ele e cheguei à conclusão de que ele era uma unanimidade: simpático, carismático, magnético, com alma de popstar”, afirma o ator.

Somente em uma cena Selton não resistiu e pediu ajuda a Estrella: a seqüência em que é julgado. “Sentei com o João e pedi para ele me contar todos os detalhes. Revivi aquilo tudo com ele e, perto dele no set, tentei passar os sentimentos de que ele me falou. Era o momento crucial da vida do cara”, conta o ator. “Foi emocionalmente cansativo, mas foi legal”, diz o ex-traficante.

‘Corajoso é ser careta’

Estrella alerta para a responsabilidade da produção: “o objetivo é mostrar que apesar de todo o glamour que a droga e o dinheiro podem trazer, nada disso compensa; ficar doidão é fácil, corajoso é ser careta, enfrentar a vida de verdade”.

“Queremos que os jovens entendam que as drogas podem te levar ao fundo do poço, mas que todos merecem uma segunda chance”, diz Selton. “Eu eu estou aproveitando a minha”, completa Estrella, que lança seu primeiro CD este mês pela EMI.

“Filme Meu Nome Não é Jonny”

Até Breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *